English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

segunda-feira, 28 de junho de 2010





quinta-feira, 24 de junho de 2010

Um Passaporte Na Fronteira

"Então disse: Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no
teu reino. Respondeu-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje
estarás comigo no paraíso" (Lucas 23:42, 43).


"O ladrão tinha cravos em ambas as mãos e, desta maneira,
não podia trabalhar; e cravos em cada um dos pés, não
podendo sair e cumprir as obras do Senhor; ele não podia
erguer uma de suas mãos ou um de seus pés em direção à
salvação, mas, mesmo assim, Cristo ofereceu-lhe o presente
de Deus e ele o tomou. Cristo lhe deu um passaporte e ele
entrou no paraíso." (D. L. Moody)


O ladrão da cruz teve uma oportunidade e não a perdeu. Tinha
todos os impedimentos para ir ao encontro de Deus, mas,
ultrapassou os obstáculos. Reconheceu que estava ali por
merecimento, mas aceitou a oferta gratuita que Cristo lhe
ofereceu.


E nós, o que temos feito com as nossas oportunidades? Temos
preferido continuar no caminho incerto, sem direção, sem
saber para onde vamos? Temos persistido nos erros, como um
jogador que vai perdendo tudo o que tem, sem desistir de
continuar tentando, até que não tenha mais nada? Temos
sofrido com as quedas, sempre continuando pelo mesmo
caminho, até que o sangramento espiritual de nossos joelhos
não nos permita mais andar?


Às vezes somos obstinados. Enfrentamos problemas e não
sabemos como solucioná-los. O Senhor estende a mão, oferece
um presente, mas, continuamos rejeitando. "Eu quero uma
solução", dizem, "mas, a solução não pode ser Deus!" O
Senhor oferece o "passaporte" da bênção e muitos preferem
ficar bloqueados diante da fronteira que conduz à
felicidade.


Se você se encontra na fronteira entre o país das tristezas
e da perdição e não sabe como fazer para atravessá-la e
alcançar a terra da felicidade, da salvação e da vida
eterna, tome o passaporte que o Senhor oferece. Você irá
atravessar e nunca mais desejará voltar.




Paulo Roberto Barbosa. Um cego na Internet!

terça-feira, 22 de junho de 2010

LAGRÍMAS QUE RESOLVEM


"Os que com lágrimas semeiam, com júbilo ceifarão."
(Salmos, 126.5)


Para muitos, lágrimas são um sinal de fraqueza. Mas a lágrima, na verdade, é um dos bens mais preciosos. Chorar é um escape, uma forma de esvaziar as dores da alma. Lágrimas retidas certamente endurecem o coração, devido ao acúmulo de mágoas: "Confiai n'Ele, ó povo; em todo tempo derramai perante Ele o vosso coração: Deus é o nosso refúgio."(Salmos 62:8)

Ana, uma israelita que temia a Deus, recebeu sua bênção (a cura da esterilidade), quando derramou a sua armadura e ressentimento diante do Senhor. Estéril, era humilhada constantemente numa época em que não poderia haver maldição maior - para uma mulher - do que ter a madre fechada. Mesmo estando diante de uma situação irreversível aos olhos humanos, Ana assumiu sua situação e resolveu derramar diante do Senhor toda a sua dor, amargura e esperança...

Às vezes, choramos por auto-compaixão ou por desânimo, ao invés de chorarmos por desabafo, como quem tem intimidade com o Senhor. Ele jamais se sensibilizou diante das lágrimas da auto-compaixão, mas sempre veio ao encontro de corações sinceros, humildes e doloridos. Por isso, às vezes temos a impressão de que o Senhor não escuta nossas orações. Mas Ele escuta! Escuta, e cala-se diante do nosso tom de cobrança e revolta. Motivo porque há tantos cristãos amargos e descrentes do poder da oração! "Com amargura na alma, orou ao Senhor, e chorou abundantemente". Ana chorou muito! Lágrimas derramadas aos pés do Senhor são valiosas - cada uma delas é recolhida e levada diante de Deus.

As lágrimas da intercessão não devem significar desespero da situação, mas o desnudar-se sem reservas da alma necessitada de Deus. O choro rega as sementes das nossas palavras: "não bebi nem vinho nem bebida forte, porém venho derramando a minha alma perante o Senhor... porque pelo excesso da minha ansiedade e da minha aflição é que tenho falado até agora." (I Samuel, 1.15,16), disse Ana.

Lágrimas diante do Senhor fortalecem a alma. "O meu coração se regozija no Senhor, a minha força está exaltada no Senhor; a minha boca se ri dos meus inimigos porquanto me alegro na Tua salvação..." (I Samuel, 2.1).

Lágrimas diante do Senhor prenunciam o consolo para todo aquele que consegue vislumbrar, através da escuridão momentânea das nuvens, as chuvas de bênçãos que se seguem. Muitas vezes a escuridão em que nos encontramos simplesmente anuncia o iminente derramar de benção sobre nossas vidas.

Acreditemos nisso!


Pr. Ricardo Vasconcelos

sexta-feira, 18 de junho de 2010

segunda-feira, 14 de junho de 2010

SEPULCRO VAZIO!!!


Livros me emocionaram, TUA palavra me trouxe vida...

- Canções que cantei me tocaram, a TUA adoração me fez TE abraçar...

- Grandes histórias e romances me fizeram desejar o amor, com a TUA entrega eu amei...

- Recebi de muitos uma suposta paz, a TUA paz excedeu o meu entendeu...

- Já bebi de muitas águas, VOCÊ me saciou...

- Desejei ter alguém para está completo, VOCÊ me completou estando eu ainda só...

- Muitos amigos tive sendo um deles a solidão, em TI meu maior desejo é ficar sempre a sós contigo...

- Eu que temia não ser amado, VOCÊ morreu por amor de mim...

- Os deuses estão por todo mundo em seus sepulcros, O SEU está vazio...

- Muitos acreditam falar com os mortos, descobri a intimidade de alguém que ressuscitou...

- Muitos ensinam a persegui inimigos, VOCÊ os convida a sentar a mesa...

- A morte realmente acaba uma vida, O TEU perdão ressuscita o amor...

- Esculturas são feitas pra que o deus se torne visível, em TI eu ando por fé e não por vista...

- Ouvi de muitos " eu te amo",VOCÊ derramou o SEU próprio sangue por amor...

- Recebi de muitos um presente, VOCÊ me deu o SEU próprio NOME...

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Aba, Pai

Romanos 8.10-17

Em amor nos predestinou para sermos adotados como filhos, por meio de Jesus Cristo, conforme o bom propósito da sua vontade (Ef 1.5).

Muitas vezes pensamos em Deus como alguém distante, que por sua força e poder não pode estar pertinho de nós. Jesus usando a expressão “Aba Pai” quis deixar claro que isso é uma mentira. Aba é uma palavra aramaica cuja melhor tradução seria papai. Termo que as crianças judias usavam quando falavam com seus pais. Era um designativo profundamente pessoal e carinhoso. Para os religiosos daquela época Deus não poderia ser chamado por uma palavra que aparentemente diminuía sua autoridade. Mas o significado que esta palavra enfatiza é a aproximação, a lembrança de que somos filhos de Deus. Jesus nos convida a compartilhar da intimidade com Deus. Podemos chamá-lo de Aba, de papai, um termo comum que demonstra familiaridade e nos faz lembrar que somos da família de Deus.

Não fomos criados para a insegurança e o medo, não recebemos um espírito de servidão ou um espírito que nos escravize, que nos faça viver atemorizados, mas recebemos um espírito de adoção por meio do qual clamamos “Aba, Pai”. A adoção traz um ganho imenso que é nosso acesso a Deus como nosso Pai. Grande é a alegria de sabermos que somos filhos e herdeiros de Deus, que participamos de sua glória.

Por ter uma visão equivocada da adoção, podemos pensar que ser filho adotivo de Deus é ser um filho que tem algumas limitações. Mas ser adotado demonstra maior privilégio ainda. O ato de adotar é tornar legalmente filho aquele que não o é por natureza. Ser filho adotado significa que fomos recebidos por Deus pelo seu amor e graça. Pela adoção, Deus aceita, como membros da sua família, os pecadores que se voltaram para ele com arrependimento e fé. O filho adotado tem os mesmos direitos e deveres do filho natural. Como filhos, desfrutamos do livre acesso ao Pai celestial e temos o desafio de agradá-lo com uma vida reta, guiados pelo seu Espírito.

Intimidade com Deus é um grande privilégio e responsabilidade.

terça-feira, 1 de junho de 2010

AS RAZÕES DA DOR


Ninguém sofre à toa, há uma razão por trás de cada padecimento – uma lição a ser aprendida… um erro a ser confessado e concertado… uma missão a ser desencadeada… aspectos no nosso temperamento, ou caráter, que precisam ser fortalecidos ou extirpados… a fé que precisa ser testada para se firmar…

Mas, tem algo mais a ser descoberto com a dor – a essência de DEUS. A dor é um lugar difícil para vislumbrar O SENHOR com coerência e nitidez, contudo, é o melhor lugar para O procurar. Dependendo da nossa disposição, veremos DEUS com limpidez ou não, tudo depende do nosso coração, eis o desafio que a dor traz. Se pendermos à arrogância de acusar DEUS de injusto, se sucumbirmos à tentação de exigir livramento por causa das nossas “virtudes”, nos afundaremos ainda mais na masmorra da dor, nos entrevaremos na amargura levados pela rebeldia insana.

Mas, se nos reconhecemos como miseráveis, como indignos, como errantes e débeis, exatamente como o fizeram o centurião de Mt 8:5, o publicano de Lc 18:13, o filho pródigo arrependido de Lc 15:21, a mulher doente de Mt 9:20, então, estamos aptos a tocar nas vestes do SENHOR e encontrar SUA misericórdia, como estes encontraram.

Somente dessa forma nos habilitamos a escutar SUAS PROMESSAS. Nos habilitamos a atravessar o nosso deserto.

O deserto não vai se transformar num jardim, nunca. O jardim está ALÉM do deserto. Deserto é deserto, é frio, é inóspito, mas, não é estéril se aprendemos o que temos que aprender na travessia, se admitirmos nossa dependência absoluta DELE, se rendidos ao pó do solo árido, esperamos SUA voz, a escutaremos, e seremos levados por ELE a um oásis chamado ESPERANÇA, é ali que somos convidados a aprender que esse DEUS pode tudo, que é ilimitado SEU poder, que é incalculável SUA sabedoria, que é insaciável sua FIDELIDADE.

Em todo deserto há esse lugar onde encontramos um conforto sobrenatural, ali está ELE á nossa frente, ELE nos chama pelo nome, ELE sabe da tua dor, ELE está aqui diante de você e de mim no meio dos nossos desertos, ELE pede algo – “CONFIA EM MIM!”.

Esse que nos consola é AQUELE que abre os mares, que faz tremer as montanhas, que tem as estrelas e planetas sob SEU domínio, é AQUELE que dá ordem aos ventos, ELE é quem abre as tumbas.

Diante de tanta MAGNITUDE, de tamanha MAJESTADE, de inacreditável AMOR, só podemos concluir que há um jardim logo ali na frente e, mais do que eu ou você podemos desejar, ELE quer nos conduzir para lá.

Sim, EU SEI, essa certeza não diminui a dor, não estanca as lágrimas, mas, se você chegou a este ponto, chegou a hora de aprender algo mais sobre paciência e espera. EU SEI…EU SEI…são, provavelmente, as mais duras lições no meio de tantas que você teve que aprender nesse deserto, mas, lembre-se, ELE está pedindo – “CONFIE EM MIM!”, não é qualquer um que está pedindo, é ELE, lembra do que ELE fez por nós na cruz? É AQUELE dos espinhos e dos cravos quem pede!

Posso te falar por mim, eu resolvi confiar, confie também, eu confio em tudo que ELE me diz, eu confio que ELE realizará CADA UM DOS MILAGRES que ELE me promete, EU CONFIO NELE, me recuso, em nome do DEUS que amo e sirvo, a ser refém da desesperança. Não seja também.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...