English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

"levando ele mesmo os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro, para que mortos para os pecados pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados." I Pedro 2:24

Disse um poeta um dia, fazendo referência ao Mestre amado:
"O berço que Ele usou na estrebaria, por acaso era dEle?

-Era emprestado!

E o manso jumentinho, em que, em Jerusalém, chegou montado e palmas recebeu pelo caminho, por acaso era dEle?

-Era emprestado!

E o pão - o suave pão que foi por seu amor multiplicado, alimentando toda a multidão- por acaso era dEle?

-Era emprestado!

E os peixes que comeu junto ao lago e ficou alimentado, esse prato era seu?

-Era emprestado!

E o famoso barquinho? Aquele barco em ficou sentado, mostrando à multidão qual o caminho, por acaso era dEle?

-Era emprestado!

E o quarto em que ceou ao lado dos discípulos, ao lado de Judas, que o traiu, de Pedro, que o negou, por acaso era dEle?

-Era emprestado!

E o berço tumular, que, depois do Calvário, foi usado e de onde havia de ressuscitar, o túmulo era dEle?

-Era emprestado!

Enfim, NADA era dEle!

Mas a coroa que ele usou na cruz e a cruz que carregou e onde morreu, essas eram, de fato, de Jesus!"

Isso disse um poeta, certo dia, numa hora de busca da verdade;
mas não aceito essa filosofia que contraria a própria realidade...
O berço, o jumentinho e o suave pão, os peixes, o barquinho, o quarto e a sepultura,
eram dEle a partir da criação, "Ele os criou" - assim diz a Escritura...

Mas a cruz que Ele usou - a rude cruz, a cruz negra e mesquinha onde meus crimes todos expiou, essa não era Sua,

ESSA CRUZ ERA MINHA!

Inspirado em Stanley Jones

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

ANTES DE JULGARES

Antes de julgares,
Saiba que teus olhos atentos aos possíveis erros dos outros podem estar cegos diante dos teus.

Antes de julgares,
Percebe que aquilo que tanto recriminas hoje, talvez precise ser a tua realidade de amanhã.

Antes de julgares,
Repara que toda história tem duas versões e duas versões são duas verdades.

Antes de julgares,
Aceita que invariavelmente a uma parte, por menor que seja de uma história, tu não terás acesso.

Antes de julgares,
Entenda que não serão mil bocas que te esclarecerão qualquer coisa, elas apenas te confundirão.

Antes de julgares,
Escuta o silêncio, ele costuma fornecer grandes dados.

Antes de julgares,
Observa os olhos, eles são mais reveladores do que as bocas. Eles deixam provas irrefutáveis da verdade.

Antes de julgares,
Presta atenção à tua volta.
Quantos foram condenados injustamente por mestres em julgamento?

Antes de julgares,
Lembra que tu mesmo já foste vítima de calúnias e por vezes não tiveste como te defender delas.

Antes de julgares,
Olha-te no espelho, observa com atenção o teu semblante, pensa na tua vida pregressa e questiona-te se estás em condição de julgar alguém.

Antes de julgares,
Recorda-te que Cristo foi julgado, condenado e crucificado sem direito à defesa


segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Nove boas maneiras de produzir uma excelente colheita

1. Plante sementes de amor. Peça a Deus para plantar o amor dele em você de maneira tão profunda e poderosa que você possa experimentá-lo plenamente. Peça também que o amor dele flua por seu intermédio para as outras pessoas. Jesus disse: "Se guardardes os meus mandamen­tos, permanecereis no meu amor; assim como também eu tenho guar­dado os mandamentos de meu Pai e no seu amor permaneço" (Jo 15:10). Peça a Deus que a ajude a obedecer a suas leis para que nada impeça a plenitude do amor dele de florescer em você.

2. Plante sementes de alegria. A alegria não tem nada a ver com as circunstâncias. Você pode ter alegria apesar de problemas difíceis e dolorosos, pois a alegria surge de um relacionamento próximo e ínti­mo com o Senhor. Você não pode ter alegria se se sentir separada de Deus ou não confiar nas promessas dele para você. Jesus disse: "Te­nho-vos dito estas coisas para que o meu gozo esteja em vós, e o vosso gozo seja completo" (Jo 15:11). Quando você vive na alegria do Senhor, você espera que Deus fará algo maior em sua vida. Peça que a alegria do Senhor seja plantada em você e se manifeste por meio de sua vida, a fim de que sua lavoura se espalhe por toda a parte, até os campos ao seu redor.

3. Plante sementes de paz. Ore para que a presença do Senhor plantada em sua vida ofereça paz que excede o entendimento. Ore para que essa paz se fortaleça e prevaleça quaisquer que sejam as circunstâncias em que você se encontra. "E a paz de Deus, que exce­de todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus" (Fl 4:7). Só podemos ter verdadeira paz se vivermos num relacionamento correto com Deus. Peça a Deus que a ajude a conhecer sua paz de maneira tão poderosa que traga paz aos outros ao seu redor.

4. Plante sementes de paciência. Por que você acha que é impor­tante que Deus cultive em nós a paciência? Porque o tempo de Deus não é o mesmo que o nosso. Ele está sempre fazendo mais do que vemos ou sabemos, portanto devemos confiar nele com relação ao tempo em que leva para fazer com que as coisas aconteçam. Deus nos aperfeiçoa e nos refina antes de nos conduzir a tudo aquilo que ele tem para nós, e isso leva tempo. "Para que não vos torneis indo­lentes, mas imitadores daqueles que, pela fé e pela longanimidade, herdam as promessas" (Hb 6:12). "Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes" (Tg 1:4). "É na vossa perseverança que ganhareis a vossa alma" (Lc 21:19). Outra palavra para paciência é longanimidade. O termo diz tudo: longo ânimo. Quando você sofre durante longo tempo, signi­fica que suporta mais coisas do que gostaria. Peça que a paciência de Deus esteja arraigada em sua alma de tal modo que nada do que você tenha de suportar venha a arrancá-la de lá.

5. Plante sementes de bondade. Você pode escolher o que planta em sua terra. Você pega as sementes que deseja e as coloca no solo, e Deus as faz crescer. A bondade é algo que você precisa plantar inten­cionalmente. Ou, em outras palavras, a bondade é algo que você precisa escolher vestir, como uma roupa. "Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade" (Cl 3:12). O ato supremo de bondade foi Jesus ter dado sua vida por nós. Ore para que esse tipo de bondade cresça dentro de você a fim de que também possa dar sua vida por outros com atos de bondade.

6. Plante sementes de benevolência. Quando a benevolência de Deus é semeada em nossa alma, leva a produzir boas obras. O homem bom tira do tesouro bom coisas boas; mas o homem mau do mau tesouro tira coisas más" (Mt 12:35). "Assim, toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore má produzir frutos bons" (Mt 7:17,18). Peça a Deus que a ajude a habitar nele para que a benevolência dele cresça em você. Quando ela crescer em seu cora­ção, coisas boas virão de sua vida.

7. Plante sementes de fidelidade. Quando somos inabaláveis, cons­tantes, seguras, confiáveis, leais, quando as pessoas podem depender de nós e fazemos o que é certo a qualquer preço, demonstramos fidelidade. "Quem é fiel no pouco também é fiel no muito; e quem é injusto no pouco também é injusto no muito" (Lc 16:10). Ore para que a fidelidade de Deus continue a se fortalecer dentro de você a cada dia de sua vida. Peça que a fidelidade dele fortaleça todos com quem você tiver contato e inspire os outros a também ser mais fiéis.

8. Plante sementes de mansidão. Quando somos petulantes e arrogantes, fazemos as pessoas se sentirem mal conosco e com elas mesmas. A mansidão é uma brandura humilde que é calma, tranqüilizadora, pacífica e agradável de se ter por perto. A Bíblia diz: "É necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e sim deve ser brando para com todos" (2 Tm 2:24). "A sabedoria, porém, lá do alto é, primeiramente, pura; depois, pacífica, indulgente, tratável, plena de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem fingimento" (Tg 3:17). Ter consideração pelos sentimentos e necessidades dos outros ao demonstrar mansidão mostra que você está respondendo ao Espírito de Deus e que aquilo que foi plan­tado em você está criando raízes. Ore para que você possa ser tão mansa quanto foi Jesus (2 Co 10:1).

9. Plante sementes de domínio próprio. O domínio próprio não é frágil como a planta do morango; é grande e forte como a macieira. Só Deus pode cultivar algo tão grandioso em você e fazer dar frutos. A falta de domínio próprio significa que você faz o que bem entende sem considerar as conseqüências. Ore para que não lhe falte determi­nação diante das forças que agem sobre sua alma. "Associai com a vossa fé a virtude; com a virtude, o conhecimento; com o conhecimento, o domínio próprio; com o domínio próprio, a perseveran­ça; com a perseverança, a piedade" (2Pe 1:5,6). Peça a Deus que cultive em você um domínio próprio que crescerá como uma árvo­re de força. Peça-lhe que ajude você a governar suas paixões, dese­jos e emoções, sujeitando-as ao Espírito Santo. Ele lhe dará a disci­plina necessária.

Se você não tem dado frutos do Espírito em sua vida como gosta­ria, peça a Deus que a ajude a plantar boas sementes e a arrancar qualquer erva daninha que esteja crescendo ao redor de sua alma. Nutra o solo do seu coração com o alimento da Palavra de Deus e peça ao Espírito Santo que o regue novamente a cada dia. Enquanto você permanecer fielmente na videira verdadeira, garanto-lhe que você produzirá uma safra de frutos espirituais que encherão seu Pai celeste de orgulho.

sábado, 3 de outubro de 2009



*Havia um grupo de irmãs num estudo bíblico do livro de* Malaquias.
Quando elas estavam estudando o capítulo três, elas se depararam com o versículo três que diz:

"Ele assentar-se-á como fundidor e purificador da prata..."

Este verso intrigou as irmãs e elas se perguntaram o que esta afirmação significava quanto ao caráter e natureza de Deus.

Uma das irmãs se ofereceu para tentar descobrir como se realizava o processo de refinamento da prata e voltar para contar ao grupo na próxima reunião do estudo bíblico.

Naquela semana esta irmã ligou para um ourives e marcou um horário com ele para assisti-lo em seu trabalho.

Ela não mencionou a razão de seu interesse na prata, nada além do que sua curiosidade sobre o processo de refinamento da mesma.

Enquanto ela o observava, ele mantinha um pedaço de prata no fogo e
deixava-o aquecer.

Ele explicou que no refinamento da prata devia-se manter a prata no meio do fogo onde as chamas eram mais quentes de forma a queimar todas as impurezas.

A irmã pensou em Deus mantendo-nos em um lugar tão quente.
Depois, ela pensou sobre o verso novamente...

"Ele se assenta como um fundidor e purificador da prata".

Ela perguntou ao ourives se era verdade que ele tinha que se sentar em frente ao fogo o tempo todo que a prata estivesse sendo refinada.

O homem disse que sim, ele não apenas tinha que se sentar lá segurando a prata, mas também tinha que manter seus olhos na prata o tempo inteiro.

Se a prata fosse deixada apenas por um momento em demasia nas chamas, ela seria destruída.

A irmã silenciou por um instante.

Depois, ela perguntou:

- "Como você sabe quando a prata está completamente refinada?"
E o homem respondeu:

- "Oh, é fácil!O processo está pronto quando vejo minha imagem refletida nela".


--
Só Jesus Cristo Salva
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...