English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

segunda-feira, 25 de junho de 2012

REFORMA DA ALMA


"Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido. Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo."

1Coríntios 2.14-16

Reformas provocam muita bagunça!

Confesso que se não fosse pelo resultado final que espero e já vejo como se já existisse, eu já teria deixado de lado essa reforma desse apartamento. Aliás, nem mesmo teria começado.

São tantas caixas, tantas ferramentas e móveis fora do lugar, tantas latas de tinta... A previsão é terminar lá para terça ou quarta-feira próxima. Olhar para esse prazo e confrontar isso com a situação da minha casa, os próximos dois dias parecem que serão uma eternidade!

Mas era necessário fazer essa reforma. E tive de insistir nisso, suportando toda a desordem em que sou obrigada a viver desde os últimos dias...

Toda reforma é assim: uma imagem de desordem, um bocado de exigências, um começo meio revirado. Quando Deus propõe reformar nossas almas, à princípio não entendemos nada. Tudo parece tão sem lógica...

Não tínhamos conflitos com pessoas do mundo e, de repente, nossas ideias começam a se chocar. Tínhamos uma situação financeira plena, estável e, de repente, as condições financeiras começam a apertar. Tínhamos muitos amigos e, de repente, eles começam a se afastar.

Mas que espécie de reforma é essa que a presença de Deus causa? Em vez de trazer bonança traz conflitos? – Alguém pode perguntar.

Sim, traz conflitos. E por que Deus permite? Porque Ele sabe que "a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente" (2Coríntios 4.17).

Quando uma reforma espiritual é iniciada em nossas vidas, muitos valores que pareciam infalíveis passam a perder status para nós. Muitas motivações entram em choque com as razões de Deus que passam a fazer parte do nosso dia-a-dia. Nossas prioridades são revistas e reorganizadas, de forma a estabelecer a primazia daquilo que condiz com a boa, perfeita e agradável vontade de Deus. E quando isso acontece, o mal não fica nenhum pouco satisfeito.

Insatisfação do mal a nosso respeito é sinônimo de conflitos para nós. Investidas e perseguições do maligno, atitudes revoltantes da parte de gente usada por ele, batalhas interiores. Se nós não estivermos seguros na pessoa santa e adorável de Deus e em Suas promessas, é nesse ponto que deixamos de superar limites e passamos a nos entregar às circunstâncias. É nesse ponto que abrimos mão da graça e voltamos ao próprio vômito (2Pedro 2.20-22).

Portanto, ainda que as reformas a que Deus nos chama pareçam doloridas demais, exijam renúncias, exercício da fé, entrega e obediência ao Senhor, submissão do nosso eu à Sua reta vontade, lembremos da glória que virá depois: Ser uma nova criatura, regenerada de Deus à Sua imagem e semelhança, dias de paz e perspectivas maiores aqui, e vida eterna mais adiante.

Tenhamos sempre em mente que "as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada" (Romanos 8.18).

Eu estou suportando a bagunça física porque almejo uma casa renovada. Mas a casa que Deus tem para nós é muito mais linda e cara: é totalmente refeita aqui, e perdurará para sempre, no Céu.

AMANHECER COM DEUS - Devocionais Bíblicos Diários

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Basta A Sua Companhia



"Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo
tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo"
(João 16:33).


No final da década de 50, Armando Valladares, De 23 anos de
idade, foi lançado em uma prisão cubana, onde permaneceu por
22 anos. As execuções eram realizadas todas as noite,
durante seu primeiro ano na prisão. Mais tarde, ele sofreu
algumas das torturas mais vis e sádicas imagináveis. Em suas
memórias, Valladares escreveu: "eu busquei Deus... Eu nunca
lhe pedi para me tirar de lá. Eu não achava que Deus deveria
ser usado para aquele tipo de pedido. Eu só pedi que Ele me
permitisse resistir, que me desse fé e força espiritual para
sobreviver debaixo daquelas condições... Eu só orei para Ele
ficar ao meu lado."


Até onde temos suportado as adversidades da vida? Temos sido
capazes de aguentar os momentos difíceis com a mesma fé que
nos motiva durante os períodos de grande alegria e bênçãos?
Temos compreendido que, muitas vezes, o Senhor permite que
enfrentemos lutas para que sejamos edificados e aprendamos a
confiar inteiramente nEle?


O salmista dizia que, com Cristo ao seu lado, não temeria
ultrapassar o vale da sombra e da morte. Temos nós a mesma
certeza? Somos capazes de não murmurar quando alguma coisa
não dá certo em nossas vidas? Somos capazes de manter a paz
e a esperança mesmo diante de obstáculos? Como tem andado o
nosso ânimo espiritual?


Quando Cristo está ao nosso lado, tudo vai bem. O mundo não
nos incomoda, a paz nos envolve completamente, as bênçãos
são constantes, a vitória é certa.


O que mais importa para nossa felicidade não é se o caminho
é plano ou pedregoso e sim, se Cristo está ao nosso lado.
Seguros em Suas mãos, podemos enfrentar quaisquer
circunstâncias.


Você costuma andar sozinho ou faz questão da companhia do
Senhor?

Paulo Roberto Barbosa. Um cego na Internet
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...