English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

sábado, 11 de dezembro de 2010

FORMANDOS DO REINO

"[...] Eles receberiam um treinamento durante três anos, e depois disso passariam a servir o rei."
Daniel 1.5


Conheço pessoas que passaram dois, três, quatro anos estudando para prestar um único concurso: o de procurador da República.

Nossas faculdades são exemplos claros e objetivos de anos de formação necessários para que se exerça alguma função. A de medicina, por exemplo, dura em torno de sete anos, até que o médico formado possa assumir um consultório.

Para servir o próprio rei da Babilônia [Nabucodonosor, neste caso], "jovens sem defeito físico, de boa aparência, cultos, inteligentes, que dominassem os vários campos do conhecimento e fossem capacitados para servir no palácio do rei" deveriam aprender "a língua e a literatura dos babilônios" (Daniel 1.4), e ainda seriam submetidos a um treinamento durante três anos para, só depois disso, servirem ao rei.

Quando recebemos de Deus um chamado – o chamado para servir ao Rei dos reis e SENHOR dos senhores – necessariamente nos tornamos formandos do Reino e precisamos também receber do SENHOR um treinamento especial que nos tornará aptos a cumprir o ministério que nos foi outorgado. Mas nossa ansiedade nos impulsiona e nós queremos que tudo aconteça imediatamente. Queremos que seja já, para agora, para ontem – se possível fosse. A preparação necessária parece que não tem nenhum valor para os ansiosos em exercer seus ministérios.

Mas Deus também prepara Seus operários. Ele chama e capacita, até que chegue o momento certo de colocar Seus servos em campo.

Vemos, por exemplo, centenas de pessoas se oferecendo para pregar, deixando seus empregos para "viver da obra", querendo adiantar aquilo que ainda não está pronto para receber. Vemos ainda outros milhares procurando um meio de gravar o seu CD, nem que seja numa gravadora de fundo de quintal, no ímpeto de "exercer o chamado". E isso muitas vezes é frustrante, porque Deus quer que essas pessoas aprendam primeiro a orar, a se consagrar, a se revestir do poder do alto, a ter um novo caráter mais santo e forte e dependente do SENHOR. Quando essa ordem dos fatos deixa de ser cumprida, as consequências são desastrosas. Eu mesma conheço várias pessoas muito próximas de mim que passaram à frente de Deus quando foram escolhidas por Ele para exercer algum tipo de ministério e que até hoje [já há muitos anos] estão quebrando a cabeça, sofrendo frustração atrás de frustração. Umas portas se fecharam e outras nunca se abriram para elas. Seus planos malograram porque ainda não era o tempo de Deus para suas vidas.

O rei da Babilônia escolheu homens quase perfeitos para serem mais aperfeiçoados ainda e poder servi-lo. O Rei dos reis escolhe pessoas defeituosas, cheias de impurezas e desprezíveis, para transformá-las em modelos a serem seguidos. Ele capacita os Seus escolhidos e faz deles vasos usados para honra. Mas isso leva tempo e requer de nós muita paciência e entrega.

Se você tem um chamado, descanse no SENHOR e procure dedicar o seu tempo a aprender, a crescer, a se desenvolver para o Reino nessa faculdade da vida. O SENHOR sabe o momento exato de te colocar em campo. E quando isso acontecer, não ficará uma só porta fechada nos lugares por onde você deva passar.


Elaine

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Bençãos Disfarçadas

Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como vedes agora, que se conserve muita gente em vida. Gên. 50:20.

Nosso verso refere-se à experiência de José. Quando foi vendido como escravo, os seus irmãos tiveram a certeza de que os sonhos proféticos dele jamais se cumpririam. Mas deixaram de considerar o fato de que Deus pode tomar uma situação má e convertê-la em algo bom. Ele fez isso por Seus filhos fiéis inúmeras vezes.

Wallace Johnson estava com 40 anos de idade em 1939. Achava que tinha estabilidade em seu emprego na serraria. Então um dia o seu patrão o chamou e disse-lhe que estava despedido. Isso não podia ter acontecido numa época pior. Os Estados Unidos da América estavam justamente saindo da grande depressão financeira da década de 30, e Johnson tinha esposa e filhos para manter. Como, perguntava-se ele, poderia a família sobreviver financeiramente agora?

Johnson saiu da serraria com a sensação de que seu pequeno mundo desabara. A caminho de casa, entretanto, orou por orientação divina. Quando entrou em sua casa e contou à esposa o que havia acontecido, o seu estado de ânimo já era melhor.
- O que é que você vai fazer agora? - quis saber a esposa.
- Vou hipotecar a casa e entrar no negócio de construções - anunciou ele.

Sua primeira tentativa foi a construção de duas pequenas estruturas. Dentro de cinco anos, a família Johnson estava multimilionária. Wallace foi o fundador da rede de hotéis Holiday Inn e ficou conhecido como o "albergueiro da América". Mais tarde ele declarou: "Se eu pudesse encontrar o homem que me despediu do emprego, eu teria de agradecer-lhe. Quando fiquei desempregado, não pude ver a mão de Deus naquela circunstância, mas posteriormente vim a entender que Ele o permitira para que eu pudesse contribuir financeiramente para a manutenção de Sua obra na Terra, enquanto ao mesmo tempo me dava condições de oferecer emprego a mais de 100.000 pessoas."
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...